sete dias sem medo da notícia
Outro lado
Prefeito de Granjeiro se defende de corrupção e afirma sofrer perseguição política
João Gregório foi alvo de denúncias por parte do vice-prefeito Ticiano e seu pai
Prefeito de Granjeiro, João Gregório
Por : Redação CN7
22/11/18 14:08

O prefeito de Granjeiro, João Gregório, foi entrevistado pelo CN7, nesta quinta-feira (22), e disse sofrer perseguição política por parte do vice-prefeito Ticiano Félix e de seu pai, Vicente Félix, que já comandou o Município, mas teve os direitos políticos cassados por irregularidades na Prefeitura. Ontem, João do Povo, como é conhecido, foi um dos alvos de Operação Bricolage, da Polícia Federal (PF), que investiga desvio de dinheiro e fraude em licitações.

João afirmou que não licitou nada, tudo já vinha da gestão anterior, de Dr. Gudy. Ele apenas deu prosseguimento às obras — que estavam paradas –, conseguindo crédito pessoal no comércio de Granjeiro para atender os anseios da população.

Sobre desvio de dinheiro, o prefeito garantiu que não teria como ter mexido irregularmente em R$ 26 milhões do Município, pois a arrecadação anual é de R$ 13 milhões e ele assumiu a Prefeitura em 2017. Se tivesse ficado para si com todo dinheiro, (13+13, apesar de o ano ainda não ter terminado), não teria conseguido pagar o funcionalismo público nem fazer com que os serviços do Município funcionassem. Toda as contas estão em dia e a máquina pública na ativa.

Em  tempo

Para João, as denuncias foram feitas pelo vice Ticiano Félix e seu pai, Vicente Félix, que querem a queda da atual gestão. Por sinal, segundo o prefeito, Vicente responde a mais de 70 processos na Justiça — espanta-se que tenham dado cabimento a denúncias de um político cassado.

Em tempo II

O dinheiro que tinha em casa, encontrado no guarda-roupa, havia sido tirado de sua conta pessoal. João é empresário e comerciante — dono de churrascaria e pousada.

Em tempo III

De acordo com o advogado de João Gregório, Igor Rodrigues Lucena, o desembargador federal relator do processo, Edilson Nobre, negou o afastamento do prefeito, prisão ou bloqueio de contas, inclusive em razão de que João é comerciante e dispõe de fonte lícita de recursos, em atividade empresarial de sua família há mais de 30 anos. Além disso, trata-se de investigação em curso, que conta com pleno apoio e disposição de colaboração do prefeito.

LINKS PATROCINADOS