sete dias sem medo da notícia
Insegurança
Traficantes e facções voltam a expulsar famílias de suas casas na Capital
A ação de criminosos tem deixado a população em pânico na periferia
Bilhete deixado na casa de uma moradora do Vicente Pinzón. Ordem de expulsão
Por : Fernando Ribeiro
07/11/18 8:58

A onda criminosa de expulsão de moradores de suas casas por membros de facções criminosas continua atingindo diversos bairros da Capital cearense e da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).  Na noite desta terça-feira (6), a Polícia Militar teve que ser acionada para, ao menos, dois bairros da cidade por conta das ameaças de bandidos aos moradores.

No bairro Vicente Pinzón, na zona Leste de Fortaleza, uma dona de casa recebeu através de um bilhete o ultimato para deixar sua casa em até 24 horas. O  mesmo aconteceu com vários moradores do Conjunto Palmeiras, no Grande Jangurussu.

No bairro Pedras, limite entre Fortaleza e o Eusébio, vários moradores já deixaram seus imóveis diante das ameaças dos traficantes e na iminência de um confronto armado que vendo tramado há dias e anunciado pelos próprios criminosos.

Reocupar

Há duas semanas, uma ordem judicial determinou que a Caixa Econômica, a Polícia Federal e a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) providenciassem a retirada dos invasores de vários apartamentos em condomínios construídos pelo programa federal e estadual “Minha Casa, Minha Vida”, com a devida escolta policial. Até agora, a ordem não foi cumprida.

Em outras comunidades de Fortaleza, como o Passaré, Barroso, Álvaro Weyne (Floresta), além da Vila Velha, a Polícia Militar teve que montar uma operação de ocupação 24 horas, com a instalação de bases móveis e fixas para impedir que os traficantes e membros de facções expulsassem famílias de ruas inteiras.  Em muitos casos, essa providência chegou tarde e hoje, várias ruas e bairros estão vazias com as  casas abandonadas.

LINKS PATROCINADOS